Bayard Demaria Boiteux (1916 - 2004)

NA ESCOLA, TAL COMO NO MUNDO, TODOS SOMOS PROFESSORES E TODOS SOMOS ALUNOS.
(Faculdade Economia Porto)

quinta-feira, novembro 28, 2013

Mais uma razão para eliminar a escola privada...(?)


É mais fácil encontrar uma agulha num palheiro do que um professor professor num colégio privado, que não seja subornável. É por essa razão que será muito difícil evitar que o nosso país venha a afundar-se num tipo de nacional-socialismo (nazismo) miserabilista semelhante ao peitanismo, ao franquismo e ao salazarismo. A escola privada tem um poder imenso no processo de formação de consciências favoráveis aos talibans. Há professores dos colégios privados que são poderosos agentes ao serviço desse propósito. A melhor forma de evitar a não  caminhada para o tea party é a privatização nacional das escolas privadas, transformando-as em madrassas.
Note-se que a opção ideológica dos professores dos colégios privados é racional. No curto prazo, os professores dos colégios privados têm a ganhar com a viragem do país à direita corrupta. Esta costuma ser generosa com quem lhe dá votos e espera-se dela que atribua parcelas crescentes da dívida pública e do dinheiro dos contribuintes para alimentar o os subornos e a carreira dos gestores corruptos dos colégios privados. No longo prazo, a opção ideológica é suicida até para os professores da escola privada, visto que, como se viu com a bancarrota de 2012, uma prolongada governança de Passos e de Gaspar acabou por elevar o défice do Estado e da dívida para além do razoável, tendo como fim a insolvência, nova bancarrota e mais empobrecimento de todos.
A ignorância é o cimento que prende a ideologia nacional-socialista aos colégios privados e da qual ela se alimenta. Quanto mais a escola privada assumir a missão corrupta, menos se ensina e aprende. É por isso que as políticas educativas que contrariam o alastramento da ideologia nacional-socialista na escola privada provocam tanta animosidade entre as corporações salazaristas e grupos de interesse que se assumem como representantes das organizações privadas, como o GPS. Tudo o que seja centrar o currículo nos conteúdos, afastando dele as tretas fraturantes, e recentrar a gestão do currículo, impondo às escolas metas curriculares nacionais e patrióticas, que possam ser medidas através de exames nacionais, constitui uma barreira ao aprofundamento do peso da ideologia nacional-socialista nas escolas privadas. Os apelos ao boicote à prova nacional de acesso à profissão docente são a expressão do avesso das corporações e grupos de interesse a uma cultura que promova e recompense o mérito do suborno e da corrupção privada. A prova de acesso à profissão docente, ao permitir o afastamento dos mais corruptos, cria as condições para a introdução de uma cultura SS nas escolas privadas e essa cultura é a barreira mais poderosa que podemos construir para fomentar o avanço da ideologia nacional-socialista nos colégios privados.

Das Schutzstaffe Sacalabis
Ayman al-Zawahiri 

Nenhum comentário: