Bayard Demaria Boiteux (1916 - 2004)

NA ESCOLA, TAL COMO NO MUNDO, TODOS SOMOS PROFESSORES E TODOS SOMOS ALUNOS.
(Faculdade Economia Porto)

quinta-feira, novembro 28, 2013

Mais uma razão para eliminar a escola privada...(?)


É mais fácil encontrar uma agulha num palheiro do que um professor professor num colégio privado, que não seja subornável. É por essa razão que será muito difícil evitar que o nosso país venha a afundar-se num tipo de nacional-socialismo (nazismo) miserabilista semelhante ao peitanismo, ao franquismo e ao salazarismo. A escola privada tem um poder imenso no processo de formação de consciências favoráveis aos talibans. Há professores dos colégios privados que são poderosos agentes ao serviço desse propósito. A melhor forma de evitar a não  caminhada para o tea party é a privatização nacional das escolas privadas, transformando-as em madrassas.
Note-se que a opção ideológica dos professores dos colégios privados é racional. No curto prazo, os professores dos colégios privados têm a ganhar com a viragem do país à direita corrupta. Esta costuma ser generosa com quem lhe dá votos e espera-se dela que atribua parcelas crescentes da dívida pública e do dinheiro dos contribuintes para alimentar o os subornos e a carreira dos gestores corruptos dos colégios privados. No longo prazo, a opção ideológica é suicida até para os professores da escola privada, visto que, como se viu com a bancarrota de 2012, uma prolongada governança de Passos e de Gaspar acabou por elevar o défice do Estado e da dívida para além do razoável, tendo como fim a insolvência, nova bancarrota e mais empobrecimento de todos.
A ignorância é o cimento que prende a ideologia nacional-socialista aos colégios privados e da qual ela se alimenta. Quanto mais a escola privada assumir a missão corrupta, menos se ensina e aprende. É por isso que as políticas educativas que contrariam o alastramento da ideologia nacional-socialista na escola privada provocam tanta animosidade entre as corporações salazaristas e grupos de interesse que se assumem como representantes das organizações privadas, como o GPS. Tudo o que seja centrar o currículo nos conteúdos, afastando dele as tretas fraturantes, e recentrar a gestão do currículo, impondo às escolas metas curriculares nacionais e patrióticas, que possam ser medidas através de exames nacionais, constitui uma barreira ao aprofundamento do peso da ideologia nacional-socialista nas escolas privadas. Os apelos ao boicote à prova nacional de acesso à profissão docente são a expressão do avesso das corporações e grupos de interesse a uma cultura que promova e recompense o mérito do suborno e da corrupção privada. A prova de acesso à profissão docente, ao permitir o afastamento dos mais corruptos, cria as condições para a introdução de uma cultura SS nas escolas privadas e essa cultura é a barreira mais poderosa que podemos construir para fomentar o avanço da ideologia nacional-socialista nos colégios privados.

Das Schutzstaffe Sacalabis
Ayman al-Zawahiri 

segunda-feira, novembro 25, 2013

Exames da Treta para Professores

Crato insiste em provas de avaliação, para professores contratados, para o dia 18 de Dezembro, porque sabe que, apesar da geve, as provas ir-se-ão realizar, mas em instituições do ensino privado e/ou nas Universidades..., e aqui, a greve tem efeitos nulos.
Por outro lado, já existem contratados, com currúculo partidário laranja, que se gabam de qualquer que seja o resultado, ficarão sempre aprovados... (?).
Hoje são os contratados, mas amanhão, quem sabe, serão os outros...

sábado, novembro 16, 2013

Rankings Liberais...?

Com os sucessivos resultados muito positivos das Escolas/Colégios Privados relativamente aos apurados na Escola Pública, nos últimos anos, parece-nos pertinente perguntar o seguinte:

1.º Quais as razões, porque, no final de cada exame realizado, nas tais Escolas/Colégios Privados, as folhas de resposta dos alunos, demoram uma eternidade a percorrerem, quiçá corredores e salas intermédias labirínticos, a distância entre a Sala respetiva e o gabinete do Secretariado de Exames?

2.º Porque é que o Inspetor que se encontra presente, no gabinete do Secretariado de Exames, na maior parte do tempo, durante as horas de realização da prova, relata ausência de qualquer anormalidade?

3.º Porque é que, em Biologia e em Física/Química, na Escola Pública, os professores são obrigados a lecionarem todo o Programa e nos Colégios Privados, só é obrigatório lecionar, os conteúdos que, por mero acaso, saem nos exames?

quarta-feira, novembro 13, 2013

PCAPs à la troika...

Braga, das agregações impostas, houve duas providências cautelares que deram entrada no Tribunal Administrativo e Fiscal.
Uma delas, já  transitada em julgado, considera que a respetiva agregação foi ilegítima...
O PCAP que, pretensamente, sempre se manifestou sempre contra qualquer agregação, resolveu reter, a divulgação pública do acórdão, estilo PGR portuguesa sobre PGR angolano.
Se ganhar o tacho de Diretor do Agrupamento, a decisão judicial morrerá, numa qualquer incineradora e o MEC respirará de alívio.
Se perder o tacho de Diretor do Agrupamento, a decisão judicial, será tornada pública e a agregação esboroar-se-á; mas, o atual PCA poderá, satisfatoriamente, voltar a reinar no seu eterno feudo, uma EB2/3...

sábado, novembro 09, 2013

Um PCAP muito traquinas...

O Período de formação das listas de candidatos representativos das diversas corporações sociais a serem eleitas, em atos eleitorais próprios (professores; não professores; alunos; encarregados de educação), para a constituição do Conselho Geral Transitório, de um recente agrupamento, terminou em beleza, estilo Mobutu.
O PCAP, decidiu reunir, com os delegados e sub-delegados, de cada uma das turmas, de forma a se encontrar, aparentemente e de uma forma pluralista e democrática, um aluno candidato efetivo e um outro aluno como suplente.
Os escolhidos, os ungidos pelo PCAP, irão submeter-se, em lista única, à votação universal dos discentes.

Quem falar em manipulação eleitoral..., que atire a primeira pedra...

sábado, novembro 02, 2013

Conselhos Gerais Transitórios ou Eleição de Vaidades...?

 Braga, constitui um dos exemplos mais negativistas, destas ações.
Depos das agregações à força efetuadas, num passado, muito recente, estilo voluntários à Tropa macaca, começam-se, agora, a formarrem listas para a constituição Conselhos Gerais Transitórios....
A E. S. D. Maria II casou-se com a EB2/3 de Lamaçães.
Os professores da E. S. D. Maria II decidiram formar uma lista maioritária, conjuntamente com alguns elementos, segundo os preceitos legais, da EB2/3 de Lamaçães.
Mas, os professores da EB2/3 de Lamaçães também decidiram formar uma lista maioritária, conjuntamente com alguns elementos, segundo os preceitos legais, da .E. S. D. Maria II.
 Os professores da E. S. D. Maria II empataram o tempo todo, a discutir a ordem de preferências da respetiva lista e foram votar sem terem apresentado tal lista... (!!!)
Os professores da EB2/3 de Lamaçães, sem conflitos fizeram o trabalho de casa e apresentaram-se como a única lista a concurso; todos os elementos efetivos foram eleitos.
Numa outra agregação, tipo horizontal, entre duas EB2/3, situação idêntica ocorreu.

Numa hora de sobrevivência da Escola Pública, muitos professores, ainda não tomaram, verdadeiramente, consciência para a atual situação em que estamos atolados; continuam com o espírito e preconceito de algum elitismo de pobreza franciscana, ridículo e cheio de vaidades; mudem de profissão e virem escrivães de pena longa..., quiçá com um sistema hormonal maos lúdico, porque ser professor pode definhar as moléculas cognitivas.