Bayard Demaria Boiteux (1916 - 2004)

NA ESCOLA, TAL COMO NO MUNDO, TODOS SOMOS PROFESSORES E TODOS SOMOS ALUNOS.
(Faculdade Economia Porto)

terça-feira, julho 31, 2012

OGE da Educação para 2013 e seguintes

Segundo o quadro plurianual de programação orçamental, para os próximos anos, publicado em diário da república, os encargos com a saúde, educação, pensões e outras prestações sociais irão sofrer uma quebra acentuada, ao contrário do que está previsto, na tendência dos últimos anos no reforço das inutilidades da defesa e reforço das verbas para as forças de segurança interna.
Por aqui já se pode antever uma futura acção de descapitalização em capital humano e nos cuidados básicos de apoio social/saúde às populações, enquanto que se verifica um reforço nas forças de repressão (investimento em FBCF/instalações ou em aumento de efectivos e de meios?).
Na Educação as agregações, o aumento do número de alunos por turma, o fim de muitos dos apoios concedidos aos alunos NEE, etc., neste próximo ano lectivo já estão a provocar mossa, nomeadamente com o previsível despedimento de cerca de duas dezenas de milhares de professores contratados e no futuro seguirão os QE/QA/QZP as mesmas pisadas e com o progressivo recurso ao Outsourcing, porque a tendência é de aumentar o número de alunos por turma, quiçá até aos 40/44.
Na Saúde, a concentração dos serviços de saúde,com o retirar de valências e o encerramento de centros de saúde à periferia, a implementação da contratação de pessoal, via Outsourcing e o fim dos tratamentos oncológicos a pessoas, cujo prazo de validade de vida seja de diagnóstico irreversível, terão de estar de acordo com a diminuição das despesas.

As verdades verdadinhas de Nuno Crato...

Na entrevista de Nuno Crato a Carlos Daniel para a RTP1, no dia 28 de Julho, e perante a ousadia de uma questão posta pelo jornalista, que lhe pergunta se depois da reunião havida, as declarações de Mário Nogueira, não estavam correctas, o ministro, fica mudo e sem fôlego e entra em derrapagem, tergiversando sobre os factos, parecendo um LP riscado; ora, o desmentido de ontem, já tinha sido, delicadamente anunciado...
A confusão é total
Essa entrevista aconteceu, embora seja difícil encontrá-la, porque tê-la à disposição do público torna-se incómoda para o chefe do MEC e para o Governo (RTP: por questões de direitos a emissão web deste programa não está disponível).
Só no YouTube está disponível.


segunda-feira, julho 30, 2012

Nuno Crato e Mário Nogueira versão 1 e versão 2...

Depois de recente reunião entre a FENPROF e o MEC, o secretário geral da federação sindical disse que foi uma reunião importante em que o senhor Ministro da Educação considerou prioritária a resolução de três problemas fundamentais: a vinculação dos docentes, o pagamento da compensação por caducidade de contrato e a atribuição das seis horas letivas para os professores não ficarem com horário zero.
Hoje, o MEC vem desmentir a situação das 6 horas lectivas para professores com horário zero...
Ficamos a aguardar a contra-resposta.

domingo, julho 29, 2012

As Férias da DREN...?



 SOS Professor/DREN en vacances por terras do Sol Permanente, que decorrerá de 17 a 25 de Agosto de 2012 e parece que também pretendem visitar o mausoléu de Stalin.(?)


Enquanto a confusão no sistema  é total, com muitos professores em angústia permanente e em que algumas farmácias, do Lisboa e Braga registam uma anormal afluência de professores, verifica-se, por outro lado, um relaxar de alguns responsáveis do MEC que se estão borrifando...










sábado, julho 28, 2012

Mobilidade Interna: Fim Provisório dos Horários Zero...

Todos são unânimes em dizer que mais de 80% dos professores enviados a DACL, vulgo horário-zero, terão retornado à escola paterna, no dia 26 de Julho, mas muitas dúvidas persistem sobre a realidade.
Será verdade?
Aparentemente, parece que houve uma retirada, com a anuência do MEC, mas, na verdade, as escolas tinham de apresentar projectos para a melhoria dos resultados escolares coerentes e permissão para atribuírem a esses projectos os professores da lista negra.
Os projectos para terem viabilidade de execução e tornarem válidas a retirada dos professores de DACL, necessitam da autorização expressa do respectivo Director Regional.
Aqui, neste blog, um dos seus elementos foi retirado no pressuposto de que a autorização era tácita, enquanto que outro (Braga) ainda está em DACL, porque a directora fez outra interpretação, quiçá a mais correcta.
E se o D. R. não concordar com alguns dos projectos, aos quais tinham sido afectados determinados professores?
Nesta situação, os salvados, terão de regressar ao DACL e esperar por melhores dias? Ou assistiremos a opções discriminatórias?

Com este conjunto de procedimentos, o MEC tentou aliviar a pressão, pelo menos durante algum tempo; para alguns um mês e para outros, pelo menos um ano, mas nenhum destas soluções é sustentável a médio/longo prazos.
Para rematar o panorama do Caos e segundo o DN, o MEC comprometeu-se ontem a tentar arranjar horários para todos os professores do quadro e fazer este ano uma vinculação extraordinária de contratados...
Ordens e contra-ordens, despachos a favor, contra, de ameaças, de recuos, de euromilhões, etc.
A confusão total e o desnorte sem polar.

Promessas de Nuno Crato...?

Apesar das sucessivas medidas promovidas pelo MEC, do rol de intenções de acabar com os horários zero e de aceitar a vinculação de professores contratados, verifica-se que ainda existam cerca de 15 000 professores em DACL, sem hipóteses de serem retirados.

Com a vinculação imediata de contratados, os professores em DACL passarão a uma situação de percaridade, de professores titulares de turma, a professores que deixam de ter lugar efectivo.

Muitos QE/QA/QZP que foram obrigados a concorrerem, fizeram-no para escolas onde havia horários de professores contratados e que deixariam, automaticamente o lugar.
Agora, essas eventuais vagas esfumaram-se e estes professores ficarão no limbo entre o emprego e a incerteza de um futuro instável.

Para o MEC, este confronto entre professores será mais do que benéfico: dividir para reinar
Nuno Crato promete hoje e amanhã esquece-se, pelo menos de parte e os Directores aliviam o stress, mandando, borda fora, professores incómodos e culpando o MEC.

sexta-feira, julho 27, 2012

Trofa: Director Pinga-amor...?

O insólito aconteceu, em terras do vale do Ave, quando um director, decidiu demandar, para a lista negra, mais de 100 professores do seu agrupamento e obriga todos, sem excepção, salvo os que não estão em serviço oficial ou em pleno gozo de férias, a fazerem serviço de presença, todos os dias e correspondente ao mesmo número de horas, anteriormente em leccionação.
Depois, no final de cada dia, todos têm de assinar uma acta sobre as tarefas realizadas, mesmo que não tenha havido nenhuma.
Com este comportamento tão inaudito, só nos ocorre uma explicação plausível, será que o abestunto anda abesado, real ou platónico? Obrigar voluntariamente todos não será apenas uma forma airosa de disfarçar os calores e a dilatação de corpos...?
Trofa que ascendeu a concelho sob as lanças laranjas, anda tresmalhado por terras rosa, mas parece que ainda existem sempre uns carolas que pretendem perpetuar localmente comportamentos nacionais já mofos.

Paginas da DGAE em Actualização...

Afinal de contas, algumas páginas da DGAE estão inacessíveis ou mais prosaicamente ditas, em reestruturação ou em actualização; por exemplo, a referente ao Serviço Docente.
Será que houve uma osmose entre as falhas técnicas da plataforma dos concursos com o funcionamento do resto?
Com o MEC sempre podemos viver, mas sem estes  Mecos a vida nunca seria a mesma coisa...


quinta-feira, julho 26, 2012

Nuno Crato e as Assombrações Eleitorais...

Campainhas tocaram na 5 Outubro sobre horários zero de professores do quadro, por via de avisos à navegação, de figuras gradas do PSD de Cascais, Oeiras e Sintra que, enviaram avisos laranjas (o 2º mais grave do risco de incêndios) cujos familiares e amigos próximos estavam na lista de dispensas e que poderiam enviesar os resultados de próximos actos eleitorais. 

Desta forma e apesar do PM, no jantar realizado na AR ter criticado o militante Passos Coelho e o Crato, afirmando que as eleições se lixassem, porque o mais importante era a defesa dos superiores interesses da pátria, nomeadamente, quando, a certo passo, disse perante os deputados sociais-democratas que nenhum deles foi eleito para ganhar as próximas eleições e que está disposto a sacrificar os resultados eleitorais pelo interesse nacional (excepto as cerca de 1000 Fundações Institutos de falsa utilidade pública parasitas, incluindo as do PSD; as PPPs; o Tó Borges; as Rendas energéticas e outros custos que também necessitam de irem a uma consulta de nutricionismo contra a obesidade) ou para ajudar a ganhar autárquicas, nem as regionais deste ano nos Açores, nem as europeias que aí vêm a seguir (No lixar das eleições, Relvas deve ser o exemplo típico  da regra que confirma essa excepção), o Governo decidiu que o processo de agregação de escolas deveria prosseguir, de forma a criar fiéis dóceis em estruturas intermédias, como as Comissões Administrativas Provisórias e através do princípio da falsa autonomia, os professores a serem despejados seriam seleccionados, não só por via da graduação profissional, mas também, através de outros princípios qualificativos...

  .

quarta-feira, julho 25, 2012

As Cadeiras do Relvas...

Artur Portela parodia, em artigo de opinião no Jornal do Fundão, a propósito de uma licenciatura muito badalada nos últimos tempos, mostrando a sociedade que somos, como adoramos exibir a nossa ascendência titular, mas que não gostamos de mostrar as nossas insuficiências de cultura social...

Descreve o articulista algumas das cadeiras mais polémicas que foram objecto de equivalência:

Cadeira de Auto-Sondagens.
Cadeira de Marketing Pessoal.
Cadeira de Cartolas à Caçador.
Cadeira de Cenografia Política.
Cadeira de Serviços de Segurança Electrónica.
Cadeira São-Precisos-Três-Para-Seguir-Um-Na-Rua.
Cadeira de Técnica de Emails.
Cadeira de Bush and Push (com direito a Visitas de Estudo a Langley, Virginia).
Cadeira de Transgressionalidade Convertível.
Cadeira de Gravações Electrónicas (Seminário A Eleita E Os Fantasmas).
Cadeira de Jornalismo Gourmet.
Cadeira do Gabinetesismo
Cadeira de Ajudismo de Custas
Cadeira de Expurgos Arquivísticos.
Cadeira de Deontautologia.
Cadeira de História Acelerada de Portugal

.....................................................

Concursos...?

5 horas da matina no meio da escuridão luminosa / 7 horas da manhã com o sol já renascido, quando aparentemente tudo dorme, porque a aplicação devia estar em serviço, mas como os prazos foram alargados em mais 2 dias, o Sistema pode também relaxar:












terça-feira, julho 24, 2012

Concursos de Professores à deriva...?


Segundo o SPN (Sindicato dos Professores do Norte), os responsáveis da DGAE reconhecem as dificuldades técnicas, atribuindo-as a problemas com o servidor (existem sempre culpados; umas vezes o diabo, outras o Sócrates ou o Magalhães, à Troika, mas nunca quem inventou o Software ou aos responsáveis do sistema).
Por outro lado, há incongruências e dificuldades na colocação de códigos e nas limitações que a aplicação coloca a quem pretende concorrer, por exemplo, aos vários tipos de contratos ou de horários.
 Alguns destes obstáculos não estão previstos na lei, o que deixa os professores extremamente confusos.
Um código repetido, consoante as várias preferências, parece que ainda conta apenas uma vez, porque ninguém tem certezas (!)

Crato: a eliminação irreversível das escolas primárias?

 Segundo Nuno Crato e relatado no Público, em declarações públicas proferidas nos labirintos perdidos da Assembleia da República, o processo iniciado por MLR e o PS, com o sucessivo encerramento de escolas primárias e a concentração em centros escolares (alguns deles sem condições mínimas de funcionamento) será irreversível, ou seja, tenderá a fixar-se, quiçá num número equivalente ao número de concelhos (?), acrescentando que: 

Poupança com fecho de escolas é pequena comparada com vantagens educativas

 Ver aqui a lista das escolas a encerrar

segunda-feira, julho 23, 2012

AECs: DGAE define regras

As entidades promotoras das cde enriquecimento curricular (AEC), já se podem inscrever, no sítio do costume.
Simultaneidade inexplicável com os concursos, mal elaborados, parece que existe uma prossecução para aumentar os níveis de ansiedade e de descrença no seio dos professores.
Tal como no caso dos médicos, enfermeiros, os professores contratados continuarão na precariedade, com dependência de privados que irão celebrar contratos de prestação de serviço ocasional.
A troika assim o obriga, na perspectiva do Governo ou segundo uma lógica de manipulação contabilística do POC público perante o deficit público?

Enviesamento de Resultados para destruir Escola Pública

Segundo um estudo publicado no International Journal on School Disaffection, e agora dado à estampa lusa pela jornalista Clara Viana, nas páginas do jornal Público, os alunos das escolas privadas têm sido favorecidos por comparação com os que frequentam o ensino, através da  analise das bases de dados dos exames nacionais do ensino secundário, que aparecem travestidos em Rankings.
Os investigadores da Universidade do Porto defendem que os rankings das escolas, como são elaborados em Portugal, não só não dão conta da real qualidade das escolas por se basearem apenas nos resultados dos exames, como até falham naquela que os seus defensores apresentam como sendo a sua principal vantagem: a objectividade.
Acrescentando que  se deve considerar seriamente a introdução de factores de correcção na ponderação das classificações de acesso à universidade.

Adormeceram professores e acordaram sem turmas

A jornalista Graça Barbosa Ribeiro do jornal Público, através do desabafo dramático de vários professores, retrata o sentir de uma nova realidade, na escola pública.
O MEC  responde que muitos professores saberão aprender a viver com a incerteza...

Cecília Lourenço: Nunca mais voltarei a ser a mesma
O pior é sentir que nunca mais vou ser a mesma. Pode parecer exagero. Mas é mesmo assim: eu, que não tinha medo, não voltarei a sentir-me segura. Não apenas na escola, mas no país.

No dia 12, o último antes do fim do prazo para a escola indicar os professores sem componente lectiva, não dormi. Mas não tive coragem de falar da minha angústia a alguém. Vivo no país cujo ministro disse que é preciso apostar na Matemática, dar mais horas a Matemática. E aos olhos dos meus colegas, no meio do caos em que se transformou a escola, eu era uma professora-com-uma-situação-mais-que-segura. Sem direito à dúvida, portanto.

Chegou sexta, dia 13. Sabia que quem tivesse horário zero seria notificado pela direcção da escola até às 18h30. Faltava um quarto de hora para as cinco quando caiu a mensagem de email. "Assunto: notificação." Chorei, horas, até já nem saber que chorava. E insisto: não foi só por causa do horário zero, daquele murro no estômago que é ler que não há alunos para nós. Foi também por sentir que algo em mim se quebrara, de forma irremediável.

domingo, julho 22, 2012

Síndrome Relvas: as Licenciaturas Duplas!!!

Este formato inovador em Portugal permite aos estudantes obterem dois diplomas  de licenciatura em áreas de estudos complementares, num período de tempo mais reduzido. A conclusão de uma licenciatura dupla dará aos estudantes uma visão mais ampla e aprofundada da realidade empresarial, dotando-os também de um conjunto mais aprofundado de competências, ferramentas essenciais para quem pretende uma rápida e profícua integração no mercado de trabalho.
O ISLA aproveita o princípio do dois em um, tirando, aparentemente, um coelho do saco dos ratos.
Mais valia instituir um RVCC no ensino superior ou o valor das propinas ser em função do número de créditos realizados ou em função dos diversos patamares de estudos realizados ou não.
Todos sabemos que uma Licenciatura pós Bolonha não tem a mesma referência de qualidade, no mercado de trabalho, face às licenciaturas antigas.
Duplas, Triplas, parece que estamos numa de arranjos e de análise combinatória do totoloto?
Parece que todos queremos ser enganados...
É o país que temos

sábado, julho 21, 2012

Os Professores do Führer...?

 Para o sucesso de um programa de apoio ao sucesso e prevenção do abandono escolar é necessária a contribuição de todos os docentes de carreira. Considerando a necessidade de garantir a ocupação de tempos lectivos a todos esses docentes relativamente aos quais se venha a verificar a ausência ou insuficiência de componente lectiva, cumpre estabelecer orientações para a melhoria da distribuição de serviço docente em cada agrupamento de escolas ou escola não agrupada.

As medidas seguintes serão assim concretizadas sem recurso a contratações

1. Organizar a “oferta de escola” prevista no artigo 11.º do Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de Julho, ajustada aos recursos humanos existentes na escola.

2. Desdobramento das turmas do ensino profissional na vertente de formação específica /técnica, tendo em conta os recursos existentes em cada escola


3. Definir Projectos e acções das escolas no âmbito do programa de apoio ao sucesso escolar e prevenção do abandono escolar, ao abrigo do artigo 17.º do despacho normativo n.º 13 -A/2012

No fundo, Nuno Crato sempre quis livrar-se do maior número de professores, mas sem custos demasiados ao nível eleitoral, tal como aconteceu no passado recente.

Para já são os Contratados que talvez tenham alguma sorte, no próximo concurso (muito nublado...), ao estilo de muita parra e pouca uva.
  1. Por outro lado, nas vigílias, poucos eram os contratados.
  2. Não estão filiados em sindicatos, porque consideram que é um desperdício de dinheiro, já que essas organizações nada fazem
  3. Quando havia greves, respondiam que tinham uma família e não podiam gastar dinheiro, em viagens, mesmo quando eram os sindicatos, dos sindicalizados que são na sua maioria QE, a suportarem tais custos. 
 Cerca de 25 000 Professores Contratados irão proximamente engrossar o desemprego. Será que ainda não tomaram consciência desta nova realidade?
 Agora, aparentemente, terá havido um recuo (estratégico) de desorientação na política educativa.

Vejamos o que está definido, principalmente, nos pontos 2 e 3, de que é possível haver desdobramento em várias disciplinas, mesmo em turma com menos de 20 alunos, ou seja, se antes uma turma tinha 20 alunos, agora, pode ter dois professores, isto é, um professor com 10 alunos e outro professor com o outro turno.
Antes, apesar de todas as polémicas, as turmas teriam de ter, no mínimo, 28 alunos e agora já podem ficar com 10?

Parece-nos um grande Doce que se poderá tornar muito amargo no futuro

Ao proporem desdobramentos nas disciplinas, só com os professores do quadro, as escolas, as direcções e o pessoal docente, estão tacitamente a aceitar que é preferível ter um emprego, mesmo que trabalhem mais horas.


A maioria do QE/QA leccionam 14 horas lectivas, mas a partir deste próximo ano lectivo, estarão a dizer ao ministério que, em vez do desemprego, não se importarão de trabalhar 28 horas lectivas por semana: trabalho extra sem pagamento adicional.

Pela mesma ordem de ideias, o MEC, no futuro, irá impor medidas draconianas que provocarão, emocionalmente uma saída prematura, de muitos professores dos quadros.

Nuno Crato não perdeu, adiou a batalha final, para uma data mais favorável, dividindo as hostes, entre professores do quadro de escolas e professores de zonas pedagógicas perante professores contratados.

Estes últimos parecem aceitar pacificamente a ida para o agouce e culpando os outros professores, nunca virando baterias contra o MEC.


sexta-feira, julho 20, 2012

Terras de Barroso na Aldeia Global...?

Cela, Paredes do Rio, Pitões das Júnias, Sirvozelo, Tourém e Vilar de Perdizes foram as aldeias onde decorreram as filmagens do anúncio da optimus.
O engraçado é que tem graça o movimento cénico sob a batuta do maestro Vitorino de Almeida; no entanto, existe sempre um mas, porque em Tourém e Vilar de Perdizes o sinal de rede que se apanha é castelhano e nenhum português.
Entre Pitões das Júnias e Tourém, no planalto da mourela, não se apanha qualquer sinal de rede telefónica móvel, portuguesa ou castelhana.
A realidade nem sempre corresponde às mensagens da publicidade.
Fonseca e Costa também andou, por bandas de Barroso, durante as filmagens do filme 5 dias, 5 noites; prometeu e prometeu, muitas coisas aos habitantes locais e no final: nicles batatóides.
No Genérico do filme omite alguns dos lugares, onde decorreram cerca de 60% das filmagens.

DACL emigrou?

Pelas 14 horas, alguns colegas, que tentaram submeter os dados anteriormente inseridos na aplicação, verificaram que ficaram fora de jogo: plataforma encerrada antes do prazo.

Deixem-me rir, antes que me esqueça...

Nuno Crato: Um Iluminado Esclarecido ou a Educação dos Mil Anos...

Não foi acaso que este conjunto de procedimentos se foram sucedendo:
  1. DCE em Maio
  2. Decreto-Lei  268/2012 que regulamenta o alargamento da escolaridade obrigatória
  3. Decreto-Lei n.º 132/2012 de 27 de junho sobre a seleção, recrutamento e mobilidade dos professores
  4. Aviso n.º 9653-A/2012 sobre a abertura de concurso de mobilidade interna
As Ameaças sobre os Directores, de forma a criar na opinião pública a ideia de que havia excesso de professores e que as turmas tinham poucos alunos e que devia haver uma concentração de currículos.

Será que as disposições normativas saídas ontem, (aparentemente) desfazem o que parece ter sido arquitectado à balda?
Porque na verdade, ainda existe a obrigatoriedade dos QE e QZP continuarem a concorrer para DACL.
Na realidade, o MEC quis criar uma situação de grandes indefinições nos percursos escolares dos jovens e respectivas famílias.
Perante estas realidades, os jovens optaram por se inscreverem em diferentes estabelecimentos de ensino, por exemplo, pelas escolas profissionais e por colégios privados de propinas irrisórias.
Por outro lado, na ausência de determinados currículos em algumas escolas, os alunos sentindo-se perdidos, optaram pelas escolas que tinham opções, mais aproximadas às respectivas expectativas.

As matrículas já se realizaram, mas se as escolas ainda têm liberdade para responder às anteriores ansiedades dos jovens, como é que os vão recuperar?
Raptos?
Subornos?
Chantagem
Os professores que regressarem, à escola de origem (tendo em conta a graduação profissional ou as simpatias dos chefes?), por decisão dos directores, até 26 de Julho,  irão fazer papel de babysitter, para apoio e acompanhamento de alunos, passeios turísticos, aventuras radicais ou psicólogos desencartados.

Depois, o MEC irá responder que efectivamente sempre tinha tido razão, que se não existem alunos suficientes, para a constituição de turmas, em mais cursos, também este país, em crise profunda, não se pode dar ao luxo de pagar pelo excesso de professores.



quinta-feira, julho 19, 2012

MEC: contrata Alves dos Reis...?

Sem cheta para pagar, os mais elementares serviço, como horas extras, correcção de exames, avaliação interna de colegas, despedir professores contratados e outros funcionários administrativos, Nuno Crato descobriu a cenoura que vai tentar subornar avaliadores externos, prometendo 100 euros, segundo a edição de hoje do Público.
Segundo algumas fontes os professores que se prestarem a esse serviço e para poupar no deficie público, talvez tenham de aderirem ao princípio dos recibos verdes e o pilim a obter, poderá transformar-se-á num pesadelo.
Por outro lado, as mesmas fontes, esse acenar, tenderá a esvaziar-se para a questão de que essa avaliação passar também a ser gratuita num futuro não muito distante.

Agentes da PSP e da GNR...

Enquanto que chefões ganham vencimentos milionários, o resto dos subordinados paga tudo, para poder exercer a profissão e ganha uma miséria, face aos riscos inerentes.

Na verdade, também temos de saber compreender que os Oficiais Superiores que ganham mais que o nosso Primeiro, têm para além das despesas normais com o seu bem estar, são obrigados a sustentar as famílias legítimas e os amores perdidos com as comandantas.

Ora, os simples agentes, que não possuem esse estatuto, não podem compreender, como a vida de outros, dos superiores/tutela é cada vez mais complexa, perante o agravar das sucessivas crises familiares.

quarta-feira, julho 18, 2012

DACL: dúvidas resolvidas

Alguns colegas de Q.E./Q.A. como moi, por se terem desabituado a procedimentos sobre concursos, cometem lapsos que, normalmente, podem conduzir a situações negativas irreversíveis:
2º - Situação do Candidato
2.2.6: deve-se colocar Qualificação Profissional e não Qualificação Própria.
4º - Situação de Mobilidade
4.1 - Sim
4.11 - Horário Zero
4.2 - Não (1ª prioridade); só colocamos sim, no caso de querermos aproximação à residência (2ª prioridade).
5 - Graduação
5.1.2.4 - Tipo de formação/estágio
Exemplo Profissionalização em Serviço (como vem em D.R.) e não Profissionalização em Exercício.
Mas depois, é aqui que surgiram muitos percalços, porque os itens não estão alinhados
     5.1.2.5.1. - Tipo de Instituição: académica (e não local da formação).
     5.1.2.5.2. - Instituição: local de licenciatura (exemplo).
     5.1.2.5.3. - Curso: (académico)

DACL: opções sem nexo?

Quando a plataforma nos questiona sobre o tipo de estágio, existem, entre outras, 2 opções semelhantes, mas aparentemente opostas:
Profissionalização em Serviço e Profissionalização em Exercício.
A DREN, via telefone diz que é igual.
A DGAE diz que, sem mais explicações, são diferentes.
Entrei para o Estágio no sistema de Profissionalização em Exercício e acabei no Diário da República como Profissionalização em Serviço.
Será que as cartas da Maya me poderão solucionar o imbróglio?

terça-feira, julho 17, 2012

DACL: reserva de recrutamento e de contratação de escola

 Segundo o Aviso n.º 5499-A/2012, sobre o Concurso anual de contratação com vista ao suprimento
das necessidades transitórias de pessoal docente, para o ano escolar de 2012 -2013:

Quando necessário, para a satisfação de necessidades temporárias pode ainda realizar-se os concursos de contratação inicial, de reserva de recrutamento e de contratação de escola, através de contrato a termo resolutivo, tendo por limite máximo o termo do ano escolar.
Ora, o que está aqui em causa é o facto de sermos obrigados a concorrer a DACL e estarmos no quadro de uma escola (e não querermos sair) ou sabendo que regressaremos, porque a ausência de componente lectiva é extensiva ao resto das escolas, recusamos a situação de horário zero.
1ª Situação: Pertenço à ESAS e não coloco nas preferências o código desta escola; digamos que prefiro arriscar.
Se regresso à escola de origem, a minha posição é de efectivo ex-professor para tapar buracos e ao fim do 2º ano, nestas condições, estou preparado para a mobilidade especial (interna e/ou externa).
2ª Situação: Pertenço à ESAS e coloco nas preferências o código desta escola; em primeiro lugar.
Se regresso à origem, a minha posição é de potencial ex-professor para tapar buracos e ao fim do 2º ano, nestas condições, estou preparado para a mobilidade especial (interna e/ou externa.
MAS, se algum professor, do mesmo grupo disciplinar, se reformar ou colocar-se de baixa médica, digamos no caso de pretender ser reformado pela CGA, ou no caso de estar efectivamente doente, eu deixo essa incómoda situação e passo à categoria de professor com componente lectiva.
Adio, pelo menos, por mais um ano, a minha saída para a mobilidade.

DACL e DAR ou o Caos: erros e omissões? - Adenda

Sou de quadro de escola e ao aceder à plataforma de concurso, porque fui listado talvez para o SIRP, sou obrigado a designar preferências de escolas na primeira prioridade e preferências de escolas na segunda prioridade (?)
Não parece correcto obrigarem-me a aceitar a 2ª prioridade, porque pertenço à 1ª.
As escolas referenciadas na 1º e na 2ª repetem-se. 
Será que estou desfasado da realidade, na medida em que há 22 anos me livrei destes procedimentos? 

É tudo muito surreal. 
Por Prudência é aconselhável submeter a candidatura de mobilidade, depois de consultar/pedir esclarecimentos, nos sindicatos, no MEC (?) ou junto das direcções das escolas.
O MEC, por tradição borra a pintura, porque a meio destes concursos surgem sempre alterações que, pretensamente pretendem corrigir, algumas vezes para pior, os disparates.
Como este ano existe o princípio da reserva de componente lectiva, é aconselhável colocar, em primeiro lugar a Escola em que estamos colocados.

segunda-feira, julho 16, 2012

Plataforma de DACL e a partícula de Bóson...

No acesso ao software do DACL, nem nos apercebemos da velocidade, entramos e saímos, sem dar por isso, ao estilo da partícula de Deus.
Se todos os dias, o sistema estiver com os fusíveis fundidos, então preparemo-nos para passar à disponibilidade da função pública, mais rápido que um simples pestanejar.
Se o Servidor pertence à FCT, tudo depende do anticiclone dos Açores estar em latitude acima ou abaixo do normal, produzindo secas extremas, apesar de por vezes notar-se um Pico de acalmia.
Se o Servidor pertencer a uma universidade, então o panorama é mais harmonioso.
Se o Servidor é particular, depende, dizem eles, ADSL ou Fibra...
Quanto se formou o governo de Santana, o caos, no sistema informático do MEC, tornou-se um hábito e agora, será que intencionalmente alguém da tutela implementou um sistema para dificultar o acesso?

Exame Matemática 635 - 2ª Fase

Prova mais acessível, menos trabalhoso, que na 1ª Fase, embora se registasse uma entrada pouco habitual, de Gauss possa ter surpreendido os alunos, porque normalmente, quando saía era em questões de resposta múltipla.
Parece que nesta segunda fase, as provas servem apenas para acalmar os ânimos e ansiedades dos alunos que querem melhorar as médias de conclusão e acesso mais fácil à 2.ª Fase.
Alguns que nunca pensaram desta forma, estão arrependidos de não terem feito a respectiva inscrição.

DACL pós 31 de Agosto...

Professores do quadro que concorrerem a DACL regressarão à escola de origem se não forem colocados.
Parece tudo muito simples.
O MEC, este ano, decidiu antecipar a data de concurso, quando as escolas ainda não têm os processos de matrícula organizados.
Existe uma Escola Secundária que recebe, de um colégio privado, todos os anos, algumas dezenas de processos; este ano, solicitou que tal transferência se fizesse só em Setembro...
Porquê?
Parece haver a intenção clara de que os novos horários, entretanto disponibilizados, sejam ocupados apenas por determinados professores.
Deus é grande!!!

domingo, julho 15, 2012

Los mineros marcha negra

Profissões em saldo... e os Fiscais de Esquina

Professores contratados que nestes anos lectivos próximos poderão ver o futuro nais negro, mas que possivelmente serão repescados (estes ou outros, desde que ganhem sempre nos mínimos) à medida que os do quadro forem mandados embora, através da reforma, da rescisão, da mobilidade ou da aposentação com sanção monetária respectiva, etc.
O MEC quer professores a 1000€/mês e trabalhem 25 horas/semana (pessoal barato e com empenho para trabalhar muito), talvez através de empresas de trabalho ocasional.
Enfermeiros a contrato de trabalho ocasional, mas com horário equivalente ao dos outros colegas.
Médicos a contrato de trabalho ocasional,  mas com horário equivalente ao dos outros colegas.
Indiferenciados, principalmente nos serviços que oficialmente recebem, por exemplo, 485€, mas que levam para casa menos de 400€.
Agentes da PSP/GNR quase que pagam para poderem trabalhar.
Por outro lado, existem os sortudos, em que o trabalhador recebe, aparentemente, mais, apesar de não parecer tão eficiente:
Mecânicos: fui na Segunda-feira a uma oficina de reparação de automóveis e paguei cerca de 24,34€/hora de mão-de-obra.
Fiscais de Esquina, contratados para as Câmaras Municipais, por motivos partidários; do partido que governa, por motivos óbvios e filhos dos dirigentes dos principais partidos da oposição, de forma a retirar argumentação coerente nas críticas eleitorais.
Outros como Relvas em que obter um título de Xotor é uma honra para quem dá.

sábado, julho 14, 2012

Os Afectos na Educação Especial...

 Leiria, OASIS: Rua  Fati

Na  minha rua há também uma agência de viagens,


Certo dia, vi entrar um  homenzinho  muito atarefado e pedir informações sobre destinos prováveis para as suas viagens de sonho. Só podia ser o Ivan,  
   Só mais uma Informação adicional, com o objectivo único de ajudar a compreender a ternura imensa que sinto por este homenzinho: ele é portador da síndrome de Prader-Willi

É escusado consultar enciclopédias, compêndios ou outros calhamaços. Por mais voltas que se dêem, qualquer dúvida sobre a temática dos afectos leva-nos sempre à mesma certeza, simples e evidente : eles são essenciais na nossa vida.
Nunca é tempo perdido aquele que se dá a troco de espalhar felicidade. Como diria o “Principezinho” de Saint-Éxupéry: “...foi o tempo que perdi com a minha flor que a tornou tão importante....”

RETIFICAÇÃO DO CALENDÁRIO de CONCURSOS

 
RETIFICAÇÃO DO CALENDÁRIO - CONCURSO PARA SATISFAÇÃO DAS NECESSIDADES TRANSITÓRIAS
Manifestação de Preferências
Contratação
23/07 a 27/07
Desistência Parcial ou Total de Preferências
Contratação
01/08 e 02/08
Indicação pelas escolas dos docentes que mantêm a componente lectiva - 1.ª Disponibilização
Ausência da Componente Lectiva
02/07 a 13/07
Candidatura e Manifestação de Preferências
Mobilidade Interna
16/07 a 20/07 *
Validação da Candidatura
Mobilidade Interna
18/07 a 26/07
Publicitação das Listas Provisórias
Mobilidade Interna
01-Ago
Reclamação
Mobilidade Interna
02/08 a 08/08
Validação da Reclamação
Mobilidade Interna
09/08 a 13/08
Disponibilização às escolas da aplicação de carregamento de horários, renovação de colocação, 2ª disponibilização da ICL
Contratação + Mobilidade Interna
09/08 a 14/08
Validação dos horários pelas DRE
Contratação + Mobilidade Interna
16/08 a 17/08
Publicitação das Listas Definitivas + Verbete Definitivo
Contratação + Mobilidade Interna
31-Ago

sexta-feira, julho 13, 2012

Onde estavam os Outros Professores...

Muito estiveram na manifestação de ontem, mas mais deveriam estar.
Na hora de infortúnio criticam os sindicatos, por nada fazerem.
Quando os Sindicatos promovem acções de esclarecimento ou manifestações, primam quase sempre pela ausência, invocando inúmeros afazeres...
Quando os Sindicatos promovem greves  argumentam que: ainda se fossem greves de 7 a 30 dias...?
Em muitas escolas, algumas com cerca de 150 professores ou mais, com níveis de filiação sindical a rondar os 70%, ninguém foi à manifestação do dia de ontem.

Entre os professores contratados, em que os níveis de filiação são baixos, os não sindicalizados que dizem que é um desperdício de dinheiro ser sócio, recorrem quase sempre aos sindicatos para os ajudarem, nas horas de maior aflição... (vão lá porque talvez seja mais barato do que ir a Fátima?).

Os professores contratados, os primeiros a sofrer na pele, as consequências das medidas de Nuno Crato, parece que ainda acreditam no Pai Natal ou no Miguel Relvas.

Exame Português - 2ª Fase

Prova muito acessível e apenas detetámos uma pequena dificuldade, no Grupo II, questão 1.3.
Para subir a média do 12º ano foi um docinho.
Pena que, como específica na 1ª fase de acesso, a classificação não possa ser valorizada..., embora seja já válida na 2ª etapa de candidatura de acesso à universidade.
Muitas vagas irão sobrar para a 2ª etapa e aí, as vantagens de concorrer posteriormente, com as novas classificações, podem ser imensas.

quinta-feira, julho 12, 2012

Professores do Quadro em Processo de Despedimento...

Professores Coadjuvantes ou professores adjuntos/auxiliares de professores titulares de turma, a designação é irrelevante.
Mas estes professores serão os que concorrerão em DACL que se não forem colocados, em outra escola, regressarão às origens.
Este infeliz regresso irá marcá-los como um estigma, durante o resto do próximo ano lectivo...

Taparão buracos, ajudarão outros a leccionarem as aulas, farão de babysitter de alunos com maiores dificuldades de integração comportamental ou com maiores dificuldades de aprendizagem.

Receberão o vencimento, como os outros, mas têm o destino traçado: despedimento através de rescisões (recebem uma indemnização, quiçá sujeita a taxa máxima de IRS, embora o Governo reconheça não ter verba suficiente), mobilidade interna no MEC ou mobilidade externa dentro do Estado; nestes dois últimos casos, os 50 km não existem, porque o Governo quer criar o caos familiar, de forma a reduzir a despesa primária, ou...
O Governo há-de massacrar a opinião pública, intoxicando-a sobre o facto de, por estar a sustentar cerca de 10 000 professores de quadro sem horário, nunca poderá ter controlo do deficie (quando foi o próprio Governo a criar essa situação) e serão inevitavelmente despedidos (através de criação de situações insustentáveis, em termos de instabilidade emocional)pelo Governo.
Mas, no final do próximo ano, Nuno Crato defenderá que o sucesso escolar só será uma realidade, quando as turmas passarem de 30 para 34/5 alunos, o que conduzirá à criação de outra bolsa de professores parasitas, que em 2014 ou 2015 também terão de ser dispensados.

As palavras do Primeiro, proferidas no dia 7 de Julho são bem objectivas e prometem endurecer as condições de vida de muitos professores, quando afirma que, segundo o jornal Público, os orçamentos mais significativos, são o da Saúde e o da Educação. Quem hoje disser que temos de substituir a poupança gerada pela suspensão do 13.º e do 14.º mês em redução de despesa pública tem de dizer quanto é que quer que se corte no Serviço Nacional de Saúde e nas escolas públicas em Portugal.

Nuno Crato em Plano Obtuso...?

Nuno Crato parece ser um econometrista sem azimute, deve ter no ISEG em TTP I/II (teoria e técnicas de planeamento) uma classificação muito basista, porque pensa e diz que pretende alcançar o sucesso educativo, de uma forma sustentada e no entanto, o meio como estabeleceu e modificou as metas curriculares é que nos parece haver pouca lucidez, porque existe uma certa contradição entre os normativos e o actual conteúdo dos programas de matemática.

Segundo alguns especialistas, autores do programa de Matemática para o ensino básico, em declarações ao jornal Público, as metas  que são propostas referem-se a um novo programa muito distinto do programa actual tanto na sua estrutura lógica global como em aspectos importantes dos conteúdos matemáticos.

Acrescentam ainda que, criticam o muito espartilhado e fragmentado das propostas, reduzindo a margem de autonomia dos professores e prejudicando a aprendizagem matemática integrada e articulada. Lamentam a introdução de conceitos totalmente desadequados aos anos e a exclusão indevida de conceitos que constam no actual programa, bem como a introdução de conteúdos que não estão previstos no programa, na medida em que, as metas não promovem a compreensão, o cálculo mental, o raciocínio e a comunicação matemática.

Por outro lado, a presidente da APM, uma espécie de concorrência da SPM, vem também afirmar que parece ter havido este ano o propósito de elaborar provas com determinados objectivos, porque existiam várias questões onde era muito fácil os alunos enganarem-se, mesmo que as soubessem resolver.
Talvez possamos compreender que o ministro foi implodido pela máquina do MEC, ao integrar-se no contexto dos diversos interesses partidários existentes.

Por um lado, o Ministro (o outro, o ego que está na oposição político partidária) mostra-se pesaroso pelos maus resultados e afirma que é preciso fazer uma aposta de reforço das competências dos alunos e, por outro lado, as metas curriculares propostas, pelo Ministro (o que ocupa o pasta da educação) parecem desarticuladas dos programas existentes, retirando autonomia aos professores, que pretendiam adequar o processo de ensino, às especificações dos ritmos de aprendizagem dos alunos.

quarta-feira, julho 11, 2012

Tsunami na ESCA de Braga...?

Alunos da Escola Secundária Carlos Amarante que foram com CIF, da ordem dos 17-20 valores, a exame final, quando viram as respectivas classificações, nem queriam acreditar.
Os sonhos de entrarem na Universidade e no curso das respectivas esperanças, onde as médias necessárias são altas, esboroaram-se quando o diferencial entre as duas classificações se situou entre os 6-10 valores.

Os professores de Física/Química A ficaram incrédulos e ora culpam o JNE, ora os correctores, porque enquanto arautos do rigor e da exigência no processo de ensino aprendizagem, estes resultados poderão colocar a sua credibilidade, quiçá em depressão existencial.
O protesto já se devia ter iniciado, a partir do dia da realização da prova e não agora.

Alguns encarregados de educação levantam a voz e falam em ponderarem no recurso a instâncias europeias (?).
Um Vira, estilo Malhão, à moda do Minho, que necessita de um Relvas para maestro.

Economia para principiantes: penar, pagar, aguentar

Todos deveríamos ter um doutoramento em Inevitabilidade, mas como isso dá muito trabalho, custa bom dinheiro e duvido que haja alguma universidade que tenha apostado nesta nobre área, pelo menos, deveríamos estar munidos de um talento natural para perscrutar os insondáveis caminhos desta ciência e dos seus gurus de sempre porque segundo Nuno Francisco, é o conceito da vulnerabilidade da inevitabilidade. A inevitabilidade em vigor é esta: a crise é inevitável, os reajustes são inevitáveis, o empobrecimento é inevitável, os cortes salariais são inevitáveis, as contenções avulso são inevitáveis, o desemprego é inevitável... Tudo isto é fado, tudo isto é inevitabilidade.

 Em cada Governo existe sempre um profeta que promete a graça, sabendo que o inferno já está farto de idiotas.
Sócrates, Passos, Relvados e o Ministro dos cornos, etc, fazem parte histórica da inevitabilidade de uma sociedade que se pauta por valores de Xotores assentes em rigor de qualidade nas novas novas oportunidades; porque antes criticou-se o RVCC público e o Nuno Crato agora recusa comentar as aldrabices praticadas no mesmo espírito, no ensino superior.

As pessoas vão-se distraindo com estes clowns, enquanto que a verdadeira crise é escamoteada.
Antes era o futebol, depois os gloriosos jogos olímpicos e amanhã outros factos servirão, inevitavelmente para minimizar, psicologicamente a inevitabilidade dos dramas sociais, através dos Media.

Na minha escola, critica-se o porquê de a direção inevitavelmente ser obrigada a dispensar cerca de 40 professores do quadro e 80 professores contratados, no entanto a resignação à passividade ou a crítica ao lado errado são uma constante, ainda não totalmente assumida.

Para a manifestação de 12 de Julho, por este ou aquele motivo, existe sempre uma desculpa para não ir.

Em princípios de Junho, um sindicato (ASPL), com cerca de 90 filiados, só nesta escola, realizou uma sessão de esclarecimento e apareceu um número astronómico de assistentes: 7 professores (nesta escola existem cerca de 210 professores).