Bayard Demaria Boiteux (1916 - 2004)

NA ESCOLA, TAL COMO NO MUNDO, TODOS SOMOS PROFESSORES E TODOS SOMOS ALUNOS.
(Faculdade Economia Porto)

sexta-feira, março 07, 2008

Pai ... perdoa-lhes, Eles não sabem o que fazem

A Ministra cometeu o pecado mais grave, desde que teve a infeliz ideia de nascer, ao colocar-se como representante ou reencarnação de Cristo.
Os professores estão a ser manipulados partidariamente, pois, talvez haja um pouco de verdade, mas o facto é que, em termos de controlo das massas, Sócrates ultrapassou Goebbels e à Exm.ª, bonequinha do verdadeiro Ministro da Educação, Valter Lemos, ficou reservado o papel de clown transgénico educacional.
Como é que Sócrates conseguiu mentir descaradamente e despudoramente às massas, para ganhar as eleições? Parece que a ética não reside no largo do rato. Os Outros ao dizerem a verdade estão a manipular e os do Governo mentindo estão a fazer filhoses?

quarta-feira, março 05, 2008

Duffy Duck Tuga

Para os devidos efeitos e tendo por base o Direito de Liberdade de Resposta, da Lei da Imprensa livre e oprimida, de Home para home, vem por esta via, o feliz ofendido, militante e participante em marchas fúnebres, pela alma da pátria e cantando a balada do Adeus da Ministra, como não professor (nas paroles JMJ/DD), declarar que se sente orgulhoso por existir alguém, travestido de abogado do Diabo do Burkina Faso da Europa Central do Golfo dos Dardanelos, que fala e desfala, que diz defender clientes e a causa pública do Tajo (mais os respectivos trocos de futuros), mas, no fundo, apenas causas materiais pessoais e reverte a moral do dubio pro reu para as profundezas do complex. Deste modo, pode-se concluir que quando Deus, num momento infeliz de mau humor e por distracção, resolveu criá-lo, reparou logo que não era digno dum ventre de mulher e por isso fê-lo nascer numa cloaca, como produto do viscoso conúbio entre uma ameba disentérica e um verme recém-cevado no cadáver dum chacal.

terça-feira, março 04, 2008

Disparate da Natureza - 1

Caros colegas:
Já pensaram que: -Nos Conselhos de Turma para avaliação, cada professor propõe uma nota para cada aluno; -É da responsabilidade do C.T. aprovar, ou seja, dar essa nota; Ou seja: -Os professores não dão notas, apenas as propõem. Quem as dá é o C.T. Então Como é possível avaliar um professor por aquilo que ele não faz: dar notas????? Pelas notas avaliamos o C.T. e não os professores!!!!!!!!!! Isto não é "normal"…….. Será que juridicamente é legal???????

sábado, março 01, 2008

A Oeste Nada de Novo...

http://www.youtube.com/watch?v=B41Hs-1vw5Y

Entre Mortos e Feridos...

Paula Maia
(Correio do Minho)
Vieram de vários pontos do distrito de Braga e não se coibiram em mostrar o seu descontentamento face à actual política educativa. Empunhando tochas, velas e cartazes com mensagens de protesto, cerca de 5000 professores concentraram, ontem à noite, na Avenida Central, naquela que foi seguramente, o maior protesto da classe docente na cidade de Braga.Jorge Saleiro integrou uma comitiva de 70 professores que vieram da Escola Secundária de Barcelos. Para além das velas, envergavam t-shirts pretas onde era possível ler-se a seguinte mensagem: ‘Estou de Luta pela Educação’. “O descontentamento teve o seu culminar na avaliação dos professores mas, o desencanto já vem desde o início do mandato desta ministra”, sustenta o docente barcelense. “Os professores têm aguentado muito desde a divisão artificial da carreira em dois sectores - professores e professores titulares - que foi uma medida com que a maior dos docentes não concorda”, prossegue. Tal como a maioria dos docentes, Jorge Saleiro defende a demissão da ministra da Educação, Maria de Lurdes Rodrigues. “Acho que esta ministra tem revelado muita falta de tacto a lidar com os professores. Não lhe resta outra solução”.Contra o processo de avaliação, o estatuto do aluno, a nova gestão democrática. Contra o concurso a professor titular. Estas foram as razões evocadas por Amélia, docente da EB 2,3 de Palmeira para participar neste protesto. Relativamente à avaliação docente, a professora bracarense defende outro tipo de avaliação, “que terá de ser negociado pelas várias forças sindicais com um novo ministério da Educação”, refere Amélia. Defende também a saída imediata de Maria de Lurdes Rodrigues. “Algum ministro da Educação conseguiu mover os professores como esta?”, interroga a docente, considerando que “este é um movimento imparável”. Apesar de no início se ter demarcado da convocatória que chegou aos docentes via SMS, o Sindicato de Professores do Norte, afecto à Fenprof decidiu apoiar a acção, revendo-se nos argumentos apresentados pelos professores. “Isto não pode continuar. São atropelos quer à legislação, quer ao respeito pela profissão. Chegou o momento de dizer basta!”, referiu ao CM, Júlia Vale.